As plantas também comem !

As plantas não são muito diferentes de nós humanos em termos nutricionais, isto porque tal como nós, elas necessitam de uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes de modo a se desenvolvam de uma forma saudável. Sendo seres que produzem o seu próprio alimento, as plantas através do processo de fotossíntese transformam a energia luminosa em energia química processando o dióxido de carbono (CO2), água (H2O) e minerais em compostos orgânicos libertando oxigénio (O2).

Iluminação

A luz que fornecemos às plantas no nosso aquário é maioritariamente artificial, proveniente das calhas de iluminação (T5, T8, HQI). A luz fornece a energia necessária ao crescimento, sendo a força por trás da necessidade de todos os outros nutrientes quanto maior for a quantidade da luz (útil à fotossíntese), maior será a demanda por nutrientes e maior será a necessidade de fertilização.

Baseado na quantidade de luz (rácio em watts/litro) podemos dividir os tanques em duas categorias:

  • Low-tech: Aquários com pouca iluminação (<1W/l)
  • High-tech: Aquários com muita iluminação (>1W/l)

É vulgarmente comum no hobby assumir que quanta mais luminosa for a minha fonte de luz, maior será o crescimento das minhas plantas. Esta é uma assumpção errada visto que a luz útil à fotossíntese situa-se no espectro entre os 400 a 700 manómetros e denomina-se PAR (Photosynthetically active radiation).

Portanto para alem dos watts, torna-se necessário possuir um bom equilíbrio em termos de espectro de forma a obter um bom crescimento. A título de exemplo para uma calha T5 de quatro vias, uma das possíveis escolhas será: Skylux 8K, Grolux 8.5K, Aquastar 10K, Daylight 6.5K.

Macronutrientes

O Carbono (C), embora englobado dentro dos macronutriente, é por si só o segundo mais importante factor de influencia para o crescimento das plantas. Para alem de ser o pilar básico da química orgânica e de formar parte de todos os seres vivos, é também utilizado pelas plantas durante o processo de fotossíntese na obtenção de energia química (açúcar).

O Carbono pode ser obtido através da respiração dos peixes sendo, possivelmente, suficiente para tanques low-tech; no entanto em tanques high-tech é estritamente necessário adicionar este elemento de forma a satisfazer as necessidades de nutrientes por parte das plantas.

No contexto da aquariofilia, embora existam vários macronutrientes, os três principais são o Azoto (N), o Fósforo (P) e o Potássio (K) que vulgarmente se abreviam como NPK; no entanto devido à grande abundância de Nitratos e Fosfatos neste meio, é comum utilizar os termos Nitratos e Fosfatos em vez de N e P.

Estes elementos são os constituintes necessários para a formação de novo tecido orgânico, sem um fornecimento adequado às necessidades da planta esta irá apresentar deficiências ou malformações.

Portanto se fornecermos luz e carbono em quantidades suficientes no entanto não fornecemos macronutrientes, a planta não conseguirá produzir tecido novo e o seu crescimento será fraco e em breve parará.

Estes nutrientes são obtidos através de processos biológicos básicos tais como decomposição da matéria orgânica, excesso de comida e até mesmo TPAs; por isso, sem a existência de luz em excesso, torna-se possível crescer plantas saudáveis num ambiente low-tech praticamente sem a adição de fertilizantes. No entanto, hoje em dia, é comum o foto período decorrer durante 10 a 12h com rácios de 1w/l, fazendo com que as nossas plantas cresçam a ritmos acelerados; se dependermos simplesmente do processo biológico como fonte de NPK, tipicamente este comportamento leva à escassez de um ou mais macronutriente.

Micronutrientes

Os micronutrientes são vulgarmente chamados de elementos traço, isto porque são compostos por pequenas quantidades de vários minerais tais como Ferro (Fe), Sódio (Na), Zinco (Zn) entre outros. Tal como os macronutrientes, os micronutrientes são necessários para a formação de novo tecido e para o bom funcionamento das células, sem um fornecimento adequado, o crescimento torna-se quase nulo ou mesmo nulo.

Podemos obter pequenas porções de elementos traço através das TPA, no entanto a quantidade obtida é provavelmente insuficiente, por isso é prática comum haver uma fertilização de micros tanto em tanques low-tech como high-tech.

O Ferro (Fe) é um micronutriente com elevada importância, para alem de ser o elemento traço que as plantas consomem em maior quantidade, é também com base nele que geralmente se mede o consumo dos restantes micronutrientes.

O Ferro é, geralmente, o micronutriente presente em maior quantidade nos fertilizante de traço, por isso podemos assumir que ao fornecermos quantidades de Ferro suficientes estamos também a fornecer quantidades suficientes dos restantes micronutrientes.

Referencias

  • Nutrição mineral de plantas – Wikipédia, a enciclopédia livre (link)
  • Autotrofismo – Wikipédia, a enciclopédia livre (link)
  • Fotossíntese – Wikipédia, a enciclopédia livre (link)
  • Micronutriente – Wikipédia, a enciclopédia livre (link)
  • Tabela periódica -Wikipédia, a enciclopédia livre (link)
  • Photosynthetically active radiation – Wikipedia, the free encyclopedia (link)
  • Estimative Index – Tom Barr
Posted in Fishkeeping and tagged , .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *